Insegurança sempre irá existir


Toda semana eu faço uma LIVE no meu instagram, onde eu trago assuntos relacionados a empreendedorismo materno e essa semana me perguntaram se eu tive alguma insegurança quando comecei a trabalhar como baby planner.


Óbvio que sim! Quem falar que não, está mentindo!


Quando eu decidi trabalhar como baby planner, eu abri mão de um trabalho estável, que tinha há mais de 5 anos. Estava bem confortável naquele lugar. Eu literalmente sai de algo que era "garantido" e pulei de cabeça em algo que eu não conhecia.


Antes de qualquer coisa, quero falar para vocês que o termo que usei "garantido" acima é muito subjetivo. Um belo dia você pode chegar no seu trabalho e ser demitida. Você sabia que em torno de 50% das mulheres que saem de licença maternidade não voltam para o trabalho (por motivo de demissão ou por escolha própria). Um tanto quanto assustador.


Então já existe a incerteza em qualquer independente do cenário.


Eu faço parte dessa estatística não por ter sido demitida, mas por ver que depois que tive a minha primeira filha, o mundo corporativo não funcionava mais para mim. Eu não consegui lidar com a culpa que eu sentia em deixá-la em casa e sair para o trabalho. Eu queria simplesmente ter mais tempo para acompanhar de perto o dia a dia dela, MAS sem deixar de trabalhar, isso não era uma opção.


Eu acho que a insegurança que sentimos está relacionada ao medo. O medo caminha ao nosso lado para nos proteger.


  • "Proteger do que, Carol?"

  • Te proteger de qualquer mudança.


Se nós formos expostos a um cenário diferente do que estamos acostumados, com certeza iremos nos sentir desconfortáveis. É tipo chegar em um lugar que você não conhece ninguém e todo mundo se conhece. Ou aquela sensação estranha que temos de adaptação ao comprar um novo carro ou trocar de teclado do computador.


Demora um pouco até nos sentirmos confortáveis, certo?


Esse medo que sentimos é para nos proteger. É melhor estar em um lugar confortável, quentinho, familiar, controlável, do que se expor para algo que você não conhece ou não sabe o que vai acontecer.


A minha maior insegurança no processo de mudar de profissão, foi a questão financeira. Eu tinha medo de pular de cabeça em uma nova profissão e que talvez ela não daria certo. Junto com essa insegurança, vinha o medo de depender do meu marido financeiramente.


Junto com isso, eu me perguntava constantemente: "E se não der certo?"


Trocar o certo pelo incerto parece uma loucura, mas meu motivo estava muito claro: minha filha. Ela era minha prioridade maior naquele momento.


A insegurança me persegue até hoje. Já passei por inúmeras situações que tive que balancear o que eu queria para mim, qual era o meu propósito e qual o preço que eu estava disposto a pagar por isso.


Hoje mesmo, antes de escrever esse texto tive que tomar uma decisão que saiu totalmente da minha zona de conforto. Mas tomei, arrisquei.


Eu falo com muitas de vocês e percebo que esse é um problema muito constante na cabeça de vocês. Mas a minha sugestão é a seguinte: insegurança sempre te seguirá. Não só no começo de começar algo novo, de mudar de carreira. Aceite que ela existe e veja se ela é maior ou menor que a sua vontade, sua motivação, sua prioridade.


Se ela não for, deixe ela de lado e encare. Porque você só vai saber se qualquer coisa vai dar certo, se tentar!


Bjs e até a próxima semana!


Carol.


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo